"Se nada nos salva da morte, que o amor nos salve da vida."

quarta-feira, 1 de abril de 2015


"Coisas da vida! Ele não ligava, nem mandava mensagem durante semanas. Mas tinha uma mania sacana de aparecer quando ele já tava quase desaparecendo da sua mente. Era carência, tava na cara – e faltava vergonha na sua, porque você sempre acabava cedendo. Não se dava valor e ainda ficava indignada por ele não dar também. Me desculpe toda a sinceridade, mas é que você aceitava ser a última opção. Ninguém ama quem não se ama, ninguém respeita quem não se respeita – doloroso, mas verdadeiro. Quando você não tá na onda de ser amada, tá tranquilo - um supre a carência com o outro e fim de papo. Mas você estava afim de sentimento, estava super na onda de mãozinha dada e ligação de madrugada, só pra ouvir um ''tava pensando em você''. E claro que ele não ligava, e por isso, causava aquele 'nervosinho de incerteza' dentro do seu peito. E foi aí que você mudou. Parou de aceitar o último pedaço do bolo. E olha só que mágico, ele nunca a chamou pra tantas festas. A mágica só não foi tão boa, porque você simplesmente não queria mais. Não queria mais mágica, não queria mais bolo, não queria mais ele. Quando você passou a se valorizar, conseguiu enxergar nitidamente o quanto os outros valem – e ele valia tão pouco pra você. Você pegou seu coração e colocou ele lá no topo de uma árvore bem alta, e vou te falar, você nunca tinha visto tanta gente disposta a escalar pra tê-lo, não é? – tenha certeza que homem adora um desafio. Pois bem, que vença o melhor para sua vida!"